Português Italian English Spanish

Metalúrgicos de SJC inauguram nova sede do Sindicato

Metalúrgicos de SJC inauguram nova sede do Sindicato


A entidade comemora os 64 anos em nova sede nesta sexta-feira (13). Crédito da Foto: Sind/Divulgação

São José dos Campos

A categoria de metalúrgicos ganha uma nova casa, nesta sexta-feira (13). Após dois anos de reforma e ampliação, será inaugurada a nova sede do Sindicato, muito mais bonita, confortável e moderna.
A categoria também comemora os 64 anos de fundação do Sindicato, ocorrida em 14 de março de 1956. Com festa aberta aos metalúrgicos, às 18h, na Rua Maurício Diamante, 65, Centro.

Show

Após a cerimônia, vai ter show com o grupo de samba Glauce & Nossa Raiz.

Ambientes

São três andares distribuídos em 1.065 m2 de área construída, elevador e mais de 40 ambientes. Cada espaço foi projetado pensando-se na praticidade e bem-estar do trabalhador.
O salão de assembleias, espaço nobre do Sindicato, tem capacidade para 150 pessoas sentadas e foi equipado com um sistema de som moderno, câmeras robóticas, TV 4K, ar-condicionado e cadeiras estofadas.
O Departamento Jurídico deixa de ocupar um imóvel separado e passa a ser centralizado na sede.

“Esta nova versão do prédio foi planejada para oferecer mais conforto e praticidade para os metalúrgicos, que são os verdadeiros donos do Sindicato. Foi também uma obra necessária para preservar esse importante patrimônio da categoria”, afirma o secretário-geral do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá.

Independência

Cada bloco usado na reforma da sede foi comprado com dinheiro vindo da contribuição dos metalúrgicos. São recursos obtidos com as mensalidades dos associados, taxas assistenciais e processos jurídicos.
Nosso Sindicato é a prova viva de que não é necessário dinheiro recebido do governo e muito menos dos patrões. Aqui, quem manda é a categoria metalúrgica.

 “A concretização dessa reforma é uma conquista de todos os metalúrgicos da nossa região. Fizemos uma administração responsável e conseguimos concluir essa obra sem depender de dinheiro de patrão nem de Imposto Sindical. É assim que se constrói um Sindicato independente e de luta”, afirma o presidente Weller Gonçalves.