Português Italian English Spanish

Trabalhadores joseenses ajudam a construir o Arco da Inovação

Trabalhadores joseenses ajudam a construir o Arco da Inovação

O carpinteiro Robson Rebouças Rodrigues é um dos moradores da cidade contratados para a execução da ponte estaiada – Crédito da foto: Claudio Vieira/PMSJC

Da Redação

“Tá ficando bonito, hein!” Esse é um comentário muito ouvido quando se avista as obras do Arco da Inovação, no entorno da rotatória do Jardim Colinas, entre as regiões centro e oeste de São José dos Campos. Passageiros, pedestres, ciclistas e motoristas acompanham com interesse o levantamento da ponte estaiada, que unirá a avenida Jorge Zarur com as avenidas São João e Cassiano Ricardo.
Também estão ansiosos os joseenses que trabalham na construção da estrutura. Como é o caso de Ana Jully Façanha Araújo, de 24 anos, que desde o começo do ano atua na parte administrativa e financeira no canteiro de obras.
Formada em engenharia civil e moradora no Campo dos Alemães (região sul), ela optou por deixar o antigo emprego. Mesmo sendo temporário, o novo trabalho abre oportunidades e valoriza o currículo. “Aqui estou em contato com todas as áreas da empresa e me desenvolvendo profissionalmente.”
Para Ana, o orgulho é maior em saber que a ponte estaiada será importante para São José. “A gente fica muito contente. Dá uma certa ansiedade para ver como ela vai ficar, quando estiver concretizada. Estou muito feliz por estar próxima disso tudo. É uma obra boa para a cidade, que está gerando emprego e fazendo a economia girar. Tem a movimentação de vários setores, por exemplo, o restaurante que fornece alimentação para os trabalhadores, a contratação de motoristas e outros prestadores de serviços.”
No canteiro onde estão sendo fabricadas as vigas, pedreiros, soldadores, armadores e demais profissionais do ramo exercem os respectivos místeres. Entre eles, está o carpinteiro Robson Rebouças Rodrigues (foto), de 33 anos e morador do Dom Pedro 1º. Ele faz parte da mão de obra do Arco da Inovação desde outubro, após ter passado um período de desemprego ou trabalhos esporádicos.
“É muito bom poder trabalhar na área que a gente gosta”, afirma Robson, que, entre outras tarefas, constrói a forma que molda o concreto para a confecção da viga. “Saber que numa obra tão importante para a cidade tem um pedacinho lá que eu fiz… Isso é muito satisfatório.”
Com praticamente um terço dos serviços realizados, a obra está na etapa de lançamento das vigas pré-moldadas. Iniciado na semana passada, o serviço está sendo executado no ramo entre as avenidas Jorge Zarur e Cassiano Ricardo. As equipes da empresa responsável continuam os trabalhos de construção do mastro central e alargamento de via.
Por causa das obras, os motoristas devem ficar atentos para o estreitamento de faixas em alguns pontos da avenida Jorge Zarur. A orientação aos condutores é respeitar a sinalização e reduzir a velocidade ao passar pelos trechos mais críticos.
A futura travessia entre as avenidas Jorge Zarur, São João e Cassiano Ricardo vai desafogar o trânsito no principal ponto de congestionamento da cidade. Uma obra que vai beneficiar toda a população, incluindo mais de 60 mil passageiros de ônibus que circulam pelo local em 1.246 viagens de ônibus diariamente.