Português Italian English Spanish

Diante de repressão, greve na Gerdau é suspensa

Diante de repressão, greve na Gerdau é suspensa

A conduta antissindical fere o direito constitucional à livre organização dos trabalhadores. Crédito da foto: SindMetSJC/Divulgação

São José dos Campos

A greve dos trabalhadores da Gerdau, na zona sul de São José dos Campos, foi suspensa nesta segunda-feira (30), segundo o Sindicato dos Metalúrgicos, após a empresa violar leis que garantem o direito à paralisação. Desde o início da greve, na sexta-feira (27), homens da Polícia Militar estiveram na portaria da fábrica. O objetivo do aparato policial era constranger os trabalhadores grevistas e forçar a entrada dos funcionários.
Diversos diretores da fábrica também permaneceram na entrada no momento da assembleia. O assédio moral ocorreu abertamente com a chefia abordando trabalhadores e enviando mensagens de celular para cobrar a presença nos postos de trabalho.
A conduta antissindical fere o direito constitucional à livre organização dos trabalhadores. A luta dos metalúrgicos da Gerdau é pela manutenção do pagamento do vale-alimentação, aumento real de salário e renovação dos direitos trabalhistas garantidos pelo acordo coletivo. “A mobilização dos companheiros da Gerdau é legítima, mas novamente a direção da fábrica aposta no autoritarismo e na repressão. O Sindicato vai tomar todas as medidas possíveis contra essa prática e irá seguir firme na luta contra os abusos e intransigência da Gerdau”, afirma o diretor do Sindicato Marco Antônio Ribeiro.