Português Italian English Spanish

Obras sociais do Santuário de Aparecida destacam a importância da educação desde a primeira infância

Obras sociais do Santuário de Aparecida destacam a importância da educação desde a primeira infância


Atividades desenvolvidas em Aparecida (SP) ganham visibilidade neste Dia Nacional da Educação Infantil

Por Lídia Tostes

Nesta quarta-feira (25) é comemorado o Dia Nacional da Educação Infantil. Data válida para recordar os quatro pilares básicos da educação propostos pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura): Aprender a Ser, Aprender a Fazer, Aprender a Conhecer e Aprender a se relacionar, trabalhados desde a primeira infância nos projetos e obras sociais do Santuário de Aparecida (SP), para o desenvolvimento pleno da criança.

No Santuário Nacional, os cuidados começam desde a gestação. O projeto Colinho de Mãe, desenvolvido pela Casa do Pequeno, acolhe gestantes dos municípios de Aparecida, Potim e Roseira, situados na região do Vale do Paraíba (SP). Os encontros com as mães, durante o ciclo gestacional, transmitem desde orientações pré-parto, até cuidados após o nascimento do bebê. Além de auxiliar, com enxovais e alimentação, as mulheres que fazem parte do projeto.

A preocupação após o nascimento se destaca com a creche Madre Regina. Atendendo filhos de funcionárias da Basílica de Aparecida, que possuem entre 0 e 6 anos de idade, os trabalhos desenvolvidos visam preparar a criança para a educação básica.

“Além da comodidade e tranquilidade das mães em saberem que ao estarem trabalhando seus filhos estão sendo muito bem cuidados, a creche também oferece várias atividades na área educacional, então é um benefício muito grande para as mães que hoje fazem parte da família Santuário”, comenta a assistente social Luciene Silva de Oliveira Correia.

A transição da infância para a adolescência pode gerar curiosidade e dúvidas, que firmadas nos valores do Santuário Nacional – espiritualidade, integridade, responsabilidade, excelência e alegria – promovem a formação humana em todas as dimensões da vida. “O Santuário preza a formação da pessoa. Além de incutir valores espirituais, morais e sociais, despertar os valores como cidadão”, ressalta Luciene.

Bem instruída nesta etapa, inicia-se o processo de capacitação. Na Casa do Pequeno, são oferecidas mais de doze oficinas para o desenvolvimento das crianças, como teatro, artesanato, corte e costura e informática. A partir dos 14 anos, os adolescentes recebem o convite para participar de um período de formação profissional, em preparação para ingressar no mercado de trabalho como menor aprendiz. Cursos profissionalizantes, como auxiliar de produção industrial, também são ofertados pela instituição, em parceria com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial).

Segundo a assistente social do Santuário de Aparecida, na Casa do Pequeno e PEMSA (Projeto de Educação Musical do Santuário) aproximadamente 800 crianças e adolescentes estão inscritos atualmente. “As atividades visam tirar as crianças das ruas, da ociosidade e do sedentarismo, que muitas vezes são portas que levam para caminhos tortuosos”, complementa Luciene Correia.

Devido a pandemia de Covid-19, as atividades presenciais foram suspensas em 2020 e estão sendo retomadas gradualmente. Na última segunda-feira (16), cerca de cinquenta aprendizes ingressaram em novas turmas do projeto. Já no próximo dia 1º de setembro, uma missa em ação de graças pela Obra Social está programada para ocorrer, no altar central da Basílica. E no dia 02, terão retorno as oficinas que estavam paralisadas, seguindo os protocolos de saúde pré-estabelecidos e acordados com os responsáveis pelas crianças e adolescentes.