Português Italian English Spanish

Sinos do Santuário de Aparecida vão homenagear vítimas do coronavírus

Sinos do Santuário de Aparecida vão homenagear vítimas do coronavírus


No dia em que os Católicos celebra a Divina Misericórdia, ato quer “manifestar esperança, fé e solidariedade”. Foto: Thiago Leon/Divulgação

Por Victor Hugo Barros

 

Os sinos do Santuário Nacional vão dobrar no próximo domingo (11) em homenagem aos mortos pela Covid-19. Às 15h, serão acionados o Campanário da Basílica Nova e o carrilhão da Basílica Velha. Ao todo, 19 sinos vão soar realizando a homenagem.

A data não foi escolhida por acaso. No próximo domingo, a Igreja Católica celebra a Festa da Divina Misericórdia. Instituída pelo Papa João Paulo II no ano 2000, a comemoração teve origem nas visões de Santa Faustina Kowalska, freira polonesa que, segundo a Tradição Católica, teve visões de Jesus. De acordo com as experiências místicas da religiosa, foi o próprio Cristo quem pediu a criação desta Festa.

“Queremos aproveitar o Domingo da Misericórdia para manifestar esperança, fé e solidariedade pelas famílias e pelos profissionais de saúde que perderam suas vidas devido a Covid-19”, afirma o reitor do Santuário Nacional, padre Eduardo Catalfo.

As três celebrações realizadas na Basílica da Padroeira ao longo do dia também vão rezar por estas intenções. As missas acontecem às 8h, 12h e 18h sem a presença dos fiéis. As cerimônias poderão ser acompanhadas pelas redes sociais do Santuário Nacional (Facebook e Youtube), Rede Aparecida de Comunicação (Rádio, TV e Internet) e aplicativo Aparecida.

Ainda durante o fim de semana, no sábado (10), a tradicional missa em louvor a São Benedito, realizada todos os anos no Santuário Nacional no sábado após a Páscoa, contará com benção para os idosos, doentes, crianças e todos os devotos do santo. O arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, presidirá a Eucaristia às 9h no Altar Central da Basílica Nova.

Em anos anteriores, a celebração contava com a presença de grupos de congada na cerimônia. Em 2019, mais de 100 grupos do gênero participaram da liturgia. Neste ano, apenas um casal de leitores vai representar os congadeiros, que foram convidados a acompanhar a missa pelos meios de comunicação.