Português Italian English Spanish

Suzano vende 3 milhões de toneladas de celulose e papéis no segundo trimestre de 2022

Suzano vende 3 milhões de toneladas de celulose e papéis no segundo trimestre de 2022


Com demanda positiva e maior volume de vendas, receita líquida atingiu R$ 11,5 bilhões no período. Foto: ADC News/Arquivo

Jacareí - SP

A Suzano, referência global na fabricação de bioprodutos desenvolvidos a partir do cultivo de eucalipto, comercializou 3 milhões de toneladas de celulose e diferentes tipos de papéis ao longo do segundo trimestre de 2022. O volume representa um acréscimo de 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Maior fabricante de celulose de eucalipto do mundo e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a Suzano comercializou entre abril e junho um total 2,7 milhões de toneladas de celulose, matéria-prima utilizada na fabricação de papéis sanitários, embalagens, fraldas, máscaras e papéis de imprimir e escrever em geral, entre outros produtos essenciais para o dia a dia das pessoas. No segmento de papéis, com destaque para os produtos de imprimir e escrever, papelcartão e outros tipos de papéis especiais, as vendas somaram 324 mil toneladas.

O maior volume de vendas, influenciado pela demanda favorável, contribuiu para que a receita líquida trimestral da Suzano totalizasse R$ 11,5 bilhões, alta de 17% em relação ao mesmo período de 2021. Já a geração de caixa operacional somou R$ 5,1 bilhões entre abril e junho, com leve oscilação positiva de 2%.

“Os fortes resultados do segundo trimestre decorrem não apenas da alta de preços e da demanda positiva do mercado, mas também dos esforços das equipes da Suzano em todas as frentes de atuação para ampliar ainda mais nossa excelência operacional. A solidez financeira e o consistente desempenho operacional têm nos permitido ampliar nossa capacidade de gerar e compartilhar valor com nossos stakeholders”, afirma o presidente da Suzano, Walter Schalka.

Investimentos

A companhia ampliará de R$ 13,6 bilhões para R$ 16,1 bilhões o valor a ser investido ao longo de 2022. Deste total, R$ 7,3 bilhões permanecem sendo destinados ao Projeto Cerrado, que já atingiu 21% de seu progresso físico e avança conforme planejado. A fábrica de celulose em construção no município de Ribas do Rio Pardo (MS) demandará R$ 19,3 bilhões em investimentos acumulados até 2024. No pico das obras, serão gerados 10 mil postos de trabalho na região.

O ritmo de investimentos segue adequado à disciplina financeira da Suzano e alinhado com o objetivo da companhia de compartilhar valor com todos os stakeholders.

No decorrer dos últimos meses, a Suzano anunciou importantes investimentos e iniciativas, incluindo a constituição da Suzano Ventures, corporate venture capital para intensificar o investimento da empresa em startups no Brasil e no exterior; a intenção de construir uma nova fábrica de bens de consumo no Espírito Santo; duas transações de aquisição de ativos que irão aumentar a competitividade estrutural de madeira, principal matéria-prima na produção de bioprodutos; o pagamento de dividendos; e novos programas de recompra de ações.

Na frente social, a Suzano pretende dobrar o número de pessoas beneficiadas em 2022, alcançando cerca de 50 mil beneficiários por meio de seus projetos sociais. Na agenda ambiental, entre as muitas iniciativas em curso, destaque para um dos maiores esforços de restauração do país, com 35 mil hectares de áreas em restauração e o compromisso de conectar meio milhão de hectares de fragmentos florestais até 2030. Iniciativas sociais e ambientais da Suzano foram detalhadas durante o 2º ESG Call da companhia, realizado com o objetivo de ampliar a transparência e engajamento com partes interessadas sobre temas materiais relacionados ao negócio.

 Legenda da foto: Unidade da Suzano em Jacareí